> Marselha, porta do Sul

Marselha, porta do Sul - Cultura

Marselha é uma cidade muito cosmopolita

A Cidade Fócia e o seu porto têm sido sempre uma porta para o Sul, o Mediterrâneo, mas não só

A Andréa gosta de sair e passear pelas ruas de Marselha… Vamos descobrir esta cidade

Marselha, também chamada a cidade fócia (cité phocéenne), tem cerca de um milhão de habitantes. Em Marselha, tudo gira à volta do porto, o primeiro porto de França (le premier port de France) e do Mediterrâneo.
Marselha é uma porta do Oriente e da África. A cidade acolheu várias grandes vagas migratórias e é hoje uma cidade particularmente cosmopolita (cosmopolite)

Massilia a italiana

No fim do século XIX, muitos trabalhadores italianos (travailleurs italiens) vieram instalar-se em França e nomeadamente em Marselha. Nos anos 20, foi a vez de os arménios (Arméniens) chegarem a Marselha.
A seguir vieram os espanhóis (Espagnols), que fugiam da ditadura, os russos (Russes), que fugiam do comunismo ou da guerra, ou os vietnamitas (Vietnamiens) que, embora franceses (império colonial), traziam culturas muito diferentes.

Marselha e o Magrebe

Após a segunda guerra mundial, para reconstruir a cidade, recorreu-se a muitos trabalhadores do Magrebe (Magrebe = Argélia, Marrocos, Tunísia) para trabalharem nas obras.
A seguir aos magrebinos, foi a vez de chegar a Marselha uma grande quantidade de pieds noirs após a independência da Argélia em 1962.

Campos e bairros

A chegada a Marselha começava frequentemente por uma estadia num dos campos de trânsito (Grand Arenas, Arenc, Mazargues, Oddo ou Colgate).
O Panier é tradicionalmente o bairro de estabelecimento das populações imigrantes (corsas e magrebinas (corses et maghrébines)), mas transforma-se num bairro de artistas e numa zona turística.
Belsunce tornou-se o bairro dos imigrantes. Foi-se transformando ao longo do tempo e hoje pode encontrar-se nele uma representação das imigrações recentes: chineses, africanos (Chinois, Africains- Senegal, Mali), europeus de Leste (Européens de l'est), Roms, comorianos, (Comoriens) , etc.

Atravessar o Mediterrâneo

A partir do porto de Marselha, é fácil atravessar o Mediterrâneo e podemos ir diretamente até à Córsega (Ajácio, Bastia, Porto Vecchio...), a Sardenha (Porto Torres), a Argélia (Argel, Orão, Bugia, Annaba e Skikda) ou a Tunísia (Tunes).
Marseille la nuit
Este memo faz parte do ateliê
Marseille la nuit

E nos outros países?

Marselha e as suas geminações
Marselha, aberta ao mundo, está hoje geminada (associada a cidades de outros países) com 13 cidades: Abidjan (Costa do Marfim), Antuérpia (Bélgica), Copenhaga (Dinamarca), Génova (Itália), Haifa (Israel), Hamburgo (Alemanha), Kobe (Japão), Dacar (Senegal), Odessa (Ucrânia),  O Pireu (Grécia), Xangai (China), Marraquexe (Marrocos) e Glasgow (Escócia).

Sabia?

Em 2013, Marselha é Capital Europeia da Cultura (Capitale européenne de la culture). É um título atribuído durante um ano a uma cidade europeia com base num programa cultural. Nesta ocasião, irão ter lugar inúmeros eventos culturais. Em Marselha, foi inaugurado em 2013 o Museu das Civilizações da Europa e do Mediterrâneo (Musée des civilisations de l'Europe et de la Méditerranée- MuCEM).

Ele disse

«É um porto, um dos mais belos junto às águas. É ilustre em todos os paralelos. A todos os instantes do dia e da noite, os barcos sulcam o mar por ele nos mais longínquos mares. »

Albert Londres (jornalista e escritor francês) in Marseille, porte du sud 

Os jogos ligados a este Memo

Teste o seu nível

Navegue facilmente no conteúdo pedagógico do site. O teste ajuda-lo-á a identificar os jogos e desafios que correspondem ao seu nível.